Ser Papai

Um bom filho, pai e marido

Por muitas vezes, já ouvi dizerem que quando se tem um bom filho é sinal que será um bom Pai e marido. Será?

Eu tenho me esforçado, pelo menos. Entre as tarefas diárias, o trabalho, e os estudos, dedico um pouco de tempo para a linda esposa e, claro, para os meus pequenos. Ufa, não é tarefa fácil!

Evidentemente que tenho ajuda dela. Enquanto trabalho e estudo, ela é quem organiza todas as coisas para mim. Filho, casa, finanças, enfim, não sei o que seria de mim se não tivesse uma companheira tão dedicada ao lado.

Estive refletindo esses dias sobre que filho eu fui. E vejo que não fui mau. Não atormentei meu pais, sempre busquei ser obediente e honrá-los. Acho que Ser Papai e marido têm exigido muito mais de mim, principalmente com a esposa no pós-parto.

É natural se sentirem inseguras depois de nove meses em “crescimento”. Se acham feias, o cabelo não está bom, não cabem mais as roupas de antes e outras coisas mais. Por isso, nós maridos temos esse dever de levantar esse humor, que nesse período sempre oscilam. De que adianta ser presente na gestação e quando o bebê nascer achar que está tudo certo? Não estará.  Acredite.

A sensibilidade delas estará ainda mais em alta e vai requerer mais de você. Mais amor! Não é piegas salientar que a mulher é uma flor e deve ser cuidada todos os dias, com zelo e amor.

Presenciei, não poucas vezes, homens tratarem suas esposas com rispidez, ignorância, falta de paciência. Me pergunto o que aconteceu para chegarem a esse ponto no relacionamento (sem julgamentos da minha parte, entendam). O que se perdeu? Respeito? Amor? A correria do dia-a-dia ás vezes é tão enfadonha que não percebemos a ausência de pequenos gestos de carinho – um perigo iminente para o relacionamento a dois.

Mas, se você foi um bom filho, com certeza é ou será um bom Pai e marido.

Dica: Eu e minha esposa adotamos uma terapia bem simples mas, que tem funcionado. Aos finais de semana, cozinhamos juntos, dividimos as tarefas de casa e tem sido bem divertido. Entre um molho, massa ou qualquer que seja o prato escolhido, sempre tem brincadeiras, risos, provocações, uma sensação de cumplicidade que se renova. Recomendo.

Um cineminha, lanchinho no shopping, pizzaria, uma caminhada para curtir um momento a sós e por que não um lugar mais romântico para relembrar os tempos de namoro?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *