Cursos Educação Ensino Mercado de Trabalho

Motivos para fazer faculdade depois dos 30 anos

Quando começamos a conversar sobre fazer um curso de ensino superior depois dos 30, 40, 50 ou até mais anos de vida, logo imaginamos um cenário quase impossível, e claro, sem saber o porquê e real motivo desse pensamento. Entretanto, caso você se encaixe nesse perfil, coloque uma coisa em mente: nunca é tarde para aprender!

Dúvida? O japonês Shigemi Hirata é atualmente a pessoa mais velha do mundo a conseguir um diploma universitário. Aos 97 anos, Hirata formou-se como Ceramista na Universidade de Belas Artes de Kyoto, no Japão. Veja, Shigemi é apenas um dos milhares de exemplos de pessoas mais velhas que finalmente alcançaram um dos seus sonhos. E você pode (e deve) ser uma delas também.

Mas por quê?

Primeiro, pense em como fazer uma faculdade pode ser a realização de um sonho que você sempre teve, porém, que até o momento não poderia realizar. Agora, imagine o impulso profissional que cursar um ensino superior daria a sua carreira. Consequentemente, isso também abriria e turbinaria novas oportunidades de trabalho.

Além disso, fazer uma faculdade depois do 30 também te dará mais maturidade para compreender as matérias e problemas que irão surgir durante o curso, na sua vida profissional e particular.

Considere igualmente as vantagens pessoais que um curso superior traria para sua vida. A partir de análises e testes vocacionais, você poderá adquirir e desenvolver habilidades e conhecimentos que antes não sabia que tinha.

Entenda que o último caso aqui é a idade, que absolutamente não tem nada a ver com o que estamos falando. Se conversamos com algumas pessoas do nosso meio familiar, por exemplo, provavelmente iremos ouvir algumas delas dizendo que o maior problema é ser “um peixe fora da água”, ou seja, alguém mais maduro em um ambiente com pessoas mais jovens – o que não significa nada, uma vez que os cursos, escolas e faculdades são um lugar de acesso para todas as idades, mesmo que em alguns casos não seja democrático nas questões sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *