Cultura

MIS inaugura exposição “Farida, um Conto Sírio” sobre refugiados

O Museu de Imagem e Som (MIS) inaugura esta semana a mostra “Farida, um Conto Sírio”, registro do premiado fotógrafo brasileiro Maurício Lima sobre os refugiados sírios em busca de asilo na Europa em 2015. A cerimônia de abertura está marcada para às 18 horas e será aberta ao público.

Pelo ensaio que deu origem a exposição, Lima tornou-se o primeiro fotógrafo brasileiro a receber o prestigioso Prêmio Pulitzer.

Com 33 imagens, a mostra ocupará o Espaço Redondo do museu e com visitação até 28 de maio. A curadoria é da alemã Elisabeth Biondi e os ingressos custam R$6 (inteira) e R$3 (meia).

O título da exposição refere-se ao nome do bebê que nasceu em Karlstad, interior da Suécia, após todas as dificuldades físicas e emocionais que seus pais ─ representando cerca de cinco milhões de refugiados sírios ─ foram obrigados a enfrentar por mais de 50 dias durante a travessia, ocasionada pela guerra em seu país.

Lima é um fotógrafo documental independente. Ao longo de mais de uma década, vem desenvolvendo um extenso projeto sobre a vida de pessoas afetadas por crises sociais e conflitos armados, com amplos trabalhos realizados em países como Afeganistão, Brasil, Iraque, Líbia, Portugal e Ucrânia. Atualmente, concentra-se em uma longa documentação sobre a migração dos refugiados do Oriente Médio rumo à Europa. Parte desse trabalho tem sido publicada com frequência pelo The New York Times.

É detentor de inúmeros prêmios – todos no exterior – com destaque para o World Press Photo [duas vezes], Pictures of the Year International [quatro vezes], Overseas Press Club of America [2016], The Frontline Club Award London [2015], Bayeux-Calvados des Correspondants de Guerre [2006], entre outros. Foi eleito o fotógrafo do ano pelo Pictures of the Year Latin America [2015] e pela revista TIME [2010]. Único fotógrafo brasileiro condecorado com o prêmio Gabriel García Márquez, concedido pela Fundación Nuevo Periodismo Iberoamericano [2004], o mais prestigioso reconhecimento na América Latina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *