Cultura

Expo Brasil: De Fora Para Dentro chega a SP

Radicado nos Estados Unidos há 22 anos, o artista plástico mineiro Luiz Vilela, expõe pela primeira vez em seu país de origem. Brasil: De Fora Para Dentro é o nome da exposição que acontece de 01 de julho a 06 de agosto, no espaço Cultura, no Shopping Iguatemi, em São Paulo. Nas telas em óleo sobre linho estarão retratados diversos pontos turísticos do Brasil, a exemplo da Estação da Luz (SP), do Corcovado (RJ), assim como a cultura e o sincretismo religioso de sua gente.

Em Brasil: De Fora Para Dentro, Luiz Vilela transforma a dor da partida em lembranças que o fazem reconectar constantemente com o que nunca saiu de si. Ele nos convida a caminhar pelas suas lembranças que nunca o abandonaram, há décadas, quando foi morar nos Estados Unidos. Com imagens de lugares e pessoas que sempre habitaram seu interior, Vilela nos leva a passear de mãos dadas com suas emoções. Um olhar de quem se acostumou com o estrangeiro sem deixar-se de sentir o conforto e aconchego em estar de volta às suas origens.

Nas suas telas, pintadas em óleo sobre linho, estão vários símbolos do Brasil, desde sua gente até as paisagens que encantam o mundo a exemplo do Corcovado (RJ), a Estação da Luz (SP), Paraty (RJ), Olinda (PE), entre outros lugares que ele retratou para esta exposição. Luiz descreve sua arte como “Expressionismo Comtemporâneo” e salienta o conceito visual da obra, que deve existir primeiro na mente do pintor. “A pintura é a busca da inteligência”, como diz David Leffel. Cores vivas e pinceladas ousadas caracterizam seu trabalho recente em contraste com telas mais quietas, escuras e mais serenas do passado. “Estou usando mais cores vibrantes no meu novo trabalho. Gosto de trabalhar com luz”, relata. E completa que “sem luz falta amplitude e unidade”. Ele conta que também evita contar a estória toda. “O olho do expectador completa essa tarefa, por isso não termino os quatro cantos da tela”, explica.

A Técnica – Trabalha principalmente com óleo sobre linho e óleo sobre painel de madeira. Possui extrema sensibilidade para bordas, texturas, relações de harmonia e valor de cores, o que faz seus temas ficarem profundamente vivos e contemplativos. O domínio do claro-escuro demonstra sua admiração pelo barroco. Nos retratos, o apreço que o artista tem por grandes mestres como Rembrandt, Diego Velásquez, Jean-Léon-Gérôme, John Frederick Kensett, e Joaquín Sorolla em particular.

Perfil – Luiz Vilela nasceu em Boa Esperança, sul de Minas Gerais, em 1965. Mudou-se para o Rio de Janeiro, onde se formou em arquitetura e Urbanismo na UFRJ. Realizou alguns trabalhos na área, fazendo perspectivas de projetos. Ainda na faculdade, começou a ilustrar livros infantis para editoras brasileiras. Foi quando se mudou para os Estados Unidos e teve a aplicação aceita pelo Pratt Institute, em Nova Iorque, onde fez o curso de ilustração comercial.

Era 1995, e ao terminar o curso dois anos depois, já foi contratado pelo departamento de arte da editora Golden Books para fazer design de livros e ilustrações. Luiz Vilela fez aulas de modelo vivo com o pintor Ronald Sherr, na The Arts Students Leagrue of New York, a mais tradicional da cidade. É membro do Portrait Society of America e faz parte do Artsbridge Group . Trabalhou com diversas galerias de arte, sendo a mais recente a Champs Gallery, em Lambertville. Aprendeu a maioria de suas técnicas de pintura no Studio Incamminati, na Filadélfia. “Eles são responsáveis por tudo que aprendi com relação à pintura figurativa“, diz. Sua preferência é pela pintura a óleo, é este o veículo pelo qual o autor mais gosta de se expressar. No Brasil, uma de suas telas está exposta no Museu de Arte Contemporânea da Bahia. Mais informações sobre o trabalho do artista plástico no seu website: www.luizvilela.com

Luiz Vilela ganhou vários prêmios em salões, seu trabalho foi incluído na exposição de arte do Phillips’ Mill, Pa; no The National Arts Club e no Salmagundi Club (onde ele é um membro), na cidade de Nova York. Luiz foi ganhou três prêmios em 2014 no mesmo salão de arte ARC/Art Renewal Center: melhor retrato (o retrato de seu amigo Donald Becker usando um chapéu de pele sob iluminação forte, que também ganhou o prêmio de aquisição,) e menção honrosa em desenho com “Dignidade” (um desenho a carvão retratando o modelo nova-iorquino Henry vestido como um mendigo). Dignidade também ganhou um prêmio no Salmagundi Black and White Exhibition em 2014. Em 2010, o retrato do seu amigo James Hamilton sentado numa mesa do bar The Boat House enquanto escrevia o menu do restaurante dele ganhou o prêmio de melhor retrato, julgado pelo artista Nelson Shanks, no The National Arts Club, NY.

Onde: Shopping Iguatemi-SP
Local: Espaço Cultura da Livraria Cultura
End.: Av. Brigadeiro Faria Lima, 2232, Jardim Paulistano, São Paulo
Período:

navigate_before
navigate_next

01 de julho a 06 de agosto (10h às 22h); sendo das 13h às 20h aos domingos e feriados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *